Compartilhar:

A violência social afeta as crianças tanto no plano físico, social quanto emocional, em diferentes níveis. As crianças expostas à violência são mais propensas a sofrer um estresse grave, incontrolável e crônico, que afeta sua capacidade de reagir às situações estressantes. Quando as crianças vivem continuamente no medo, elas se tornam muito sensíveis aos estímulos externos (por exemplo, os sons) e têm dificuldade de se recobrar de suas emoções negativas.  

Ao longo do tempo, essas reações podem resultar em distúrbios de saúde mental, como a depressão, ansiedade e problema de estresse pós-traumático, assim como problemas de saúde, sociais e escolares. Elas também podem tornar as crianças mais propensas a adotar comportamentos de risco (por exemplo, agressividade, abuso de substâncias químicas) durante sua infância e na idade adulta. 

É claro que a violência é prejudicial às crianças. É preciso fazer tudo que estiver ao nosso alcance para protegê-las e para encontrar maneiras eficazes de dar suporte àquelas que sofreram essa exposição.