Relações entre pares


Qual é sua importância?

Síntese dos textos de especialistas - Publicado on-line em 11 de outubro de 2011

Editor do Tema: Michel Boivin, PhD, Université Laval, Canadá
Tradução: B&C Revisão de Textos. Revisão técnica: Adriana Fridman, Aliança pela Infância
Revisão final: Alessandra Schneider, CONASS - Conselho Nacional de Secretários de Saúde - Brasil

Relações entre pares na primeira infância são essenciais para a adaptação psicossocial presente e futura. Vividas em atividades em grupo ou em amizades unipessoais, elas desempenham um papel importante no desenvolvimento das crianças, ajudando-as a dominar novas habilidades sociais e familiarizar-se com as normas e processos sociais envolvidos nas relações interpessoais. Este tema apresenta particular interesse na atualidade, uma vez que cada vez mais as crianças são expostas a outros pares mesmo antes do ingresso na escola, pela frequência a creches e porque a maioria das crianças interage com irmãos de idades aproximadas no contexto da família.

Até os quatro anos, ou mais tardar, a maioria das crianças é capaz de ter um melhor amigo e de conhecer os parceiros de quem gosta ou de quem não gosta. No entanto, entre 5% e 10% das crianças experimentam dificuldades crônicas nas relações com pares, tais como rejeição ou hostilização. Problemas precoces com pares podem ter um impacto negativo no desenvolvimento social e emocional posterior. Contudo, intervenções em relação a essas dificuldades parecem ser particularmente efetivas quando são realizadas mais cedo na vida.

 

Veja também...

Para sua informação 

Alguns documentos estão disponíveis no
formato PDF. Para fazer o download gratuito
da versão em Acrobat Reader, clique em
clique aqui.