Compartilhar:

Ao longo dos últimos anos, os programas americanos e canadenses de assistência social foram reformados a fim de encorajar os pais de baixa renda a encontrar empregos e a permanecer ativos no mercado de trabalho.

Os programas que incitam as mães a trabalhar e que melhoram a renda familiar têm baixa repercussão nas crianças com idade entre 2 e 5 anos. Essas repercussões, entretanto, são positivas, especialmente nas habilidades cognitivas, no comportamento, na saúde e no bem-estar familiar. Entretanto, os programas tiveram uma incidência negativa sobre as crianças com menos de nove meses de idade cuja mãe trabalhava em período integral. 

Apesar da reforma dos programas de assistência social, as crianças oriundas de uma família de baixa renda continuam sendo menos bem sucedidas na escola e apresentam mais problemas de comportamento, não importando se sua mãe recebe ou não assistência social. Isso sugere que as políticas de reforma dos programas de assistência social deveriam também ser avaliadas e adaptadas levando em consideração as repercussões que possam ter nas crianças.